Desafios e Maratonas: Desafio Literário de 2015

barrinha-divisoria-16

C360_2015-12-31-16-31-14-898.jpg

Oi, oi gente. 💕 

O final do ano finalmente chegou e com isso muitas metas literárias foram cumpridas e outras não, mas faz parte, certo? Ainda terei um ano inteirinho para cumprir as metas que não tive tempo de fazer e para fazer novas metas. 🎉

Em janeiro de 2015 fiz uma lista de desafios literários para cumprir durante o ano todo, com 19 metas para realizar com calma durante os meses e gostaria de compartilhar com vocês. 


🌺 Desafios cumpridos durante o ano:

🌺 Um livro com mais de 500 páginas – A Casa das Orquídeas da Lucinda Riley

🌺 Que contenha números na capa – 365 Dias Extraordinários da R. J. Palacio

🌺 Que seja escrito por uma mulher – Deusa da Luz da P. C. Cast

🌺 Que tenha sido públicado esse ano – Dois Garotos se Beijando do David Levithan

🌺 Que tenha apenas uma palavra no título – Angelologia da Danielle Trussoni

🌺 Que seja baseado em fatos reais – O Caçador de Pipas do Khaled Hosseini

🌺 Que você termine em um dia – O Menino do Pijama Listrado do John Boyne

🌺 Que relembre a sua infância – A Terra Inteira e o Céu Infinito da Ruth Ozeki

🌺 Que tenha sido recomendado por um amigo – 1Q84 do Haruki Murakami

🌺 Que se passe em um universo com mágia – Harry Potter e a Pedra Filosofal da J. K. Rowling

🌺 Que tenha te feito chorar – A Mais Pura Verdade do Dan Gemeinhart

🌺 De um autor que você nunca tenha lido antes – Quando as Sereias Choram da Mirella Ferraz

🌺 Uma trilogia, doulogia ou série – Percy Jackson e os Olimpianos do Rick Riordan

🌺 Que tenha virado filme – Um Porto Seguro do Nicholas Sparks 


🌺 Desafios não cumpridos:

🌺 Que tenha sido adaptado para TV

🌺 Que se passe durante o Natal

🌺 Que contenha cor no título

🌺 Que foi publicado no ano em que nasceu

Esses quatro desafios que acabei não cumprindo foi pois ou estava terminando alguma série ou em vez de comprar o livro para o desafio acabei comprando algum que estava com muita vontade de ler, ou simplesmente pois não tive tempo agora no final do ano para ler aqueles que tinha. 


Apesar de não ter conseguido completar o Desafio Literário de 2015 estou feliz por ter lido ao todo, 61 livros. Minha meta do ano era 50 e fiquei extremamente animada quando consegui alcançar a meta e passá-la.

Em janeiro irei passar para vocês uma nova lista de desafios, então fiquem ligados e para aqueles que quiserem participar ficarei muito feliz. Mas me contem, vocês fizeram algum desafio literário este ano? E se fizeram cumpriram todas as suas metas? 

Esse vai ser o último post do ano, então espero que 2016 seja um ano maravilhoso para todos vocês, com muita alegria, saúde e muitas leituras! Até ano que vem amores! 💖 

barrinha-divisoria-16

Resenha: Passarinha – Kathryn Erskine

barrinha-divisoria-16

PASSARINHA_1375904925B

Passarinha

Autor: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Gênero: Literatura Estrangeira
Páginas: 224
Pontuação: 🌺 🌺 🌺 🌺 🌺

Sinopse: “No mundo de Caitlin tudo é preto ou branco. As coisas são boas ou más. Qualquer coisa no meio do caminho é confuso. Essa é a máxima que o irmão mais velho de Caitlin sempre repetiu. Mas agora Devon está morto e o pai não está ajudando em nada. Caitlin quer acabar com isso, mas como uma menina de onze anos de idade, com síndrome de Asperger ela não sabe como. Quando ela lê a definição de encerramento ela percebe que é o que ela precisa. Em sua busca por ele, Caitlin descobre que nem tudo é preto ou branco, o mundo está cheio de cores, confuso e bonito.” 


A história é narrada pela Caitlin, uma garota de 10 anos, portadora da Síndrome de Asperger. Geralmente os portadores desta síndrome têm dificuldade para interagir com outras pessoas e se comportam de forma estranha em situações sociais, tendo muita dificuldade para fazer amigos e iniciar e manter uma conversa.

Ela vive com o pai, que estão passando por um momento muito difícil, já que seu irmão, Devon, foi assassinado recentemente, em um tiroteio na escola. Mas como a própria Caitlin diz, desde O Dia Em Que A Vida Desmoronou (o dia em que seu irmão foi morto), ela tenta Lidar Com Isso junto de seu pai, que ainda não suporta a perda do filho.

Devon era a única pessoa que realmente entendia Caitlin, ajudava a se portar em conversas, em relacionamentos, dizia o que era certo e o que era errado, sempre dizendo a hora para parar e para começar. Seu irmão era muito importante, tanto para ela quanto para seu pai.

Com isso, Caitlin resolve seguir em frente. Como ela tem muita dificuldade de se relacionar com as pessoas, a Sra. Brooks, que é orientadora do colégio onde estuda, tenta praticar a empatia e a se relacionar.

Apesar dela ter seguido em frente, ela vê que seu pai não consegue, até o dia em que ela ouve a palavra Desfecho e quando procura o seu significado, ela se convence de que seu pai e ela mesma necessitam de um Desfecho. E é quando Caitlin começa a Trabalhar Nisso e tenta ajudar seu pai a sair do luto.

A busca pelo Desfecho é simplesmente tocante, pois conseguimos ver o quanto ela se esforça e o quanto é determinada, você vibra e fica feliz a cada novo passo que ela dá.

Passarinha é recheada de simbolismos e a maneira como todos eles são explicados, são maravilhosos, pois é algo tocante. A escrita é muito fluída, quando vemos já estamos na metade do livro, é tudo muito bem estruturado .

Passarinha é aquele tipo de livro que te fará chorar e rir em diversos momentos. É um livro que não se deve faltar na estante, pois tem uma história inigualável.  
 
 
🌺 Página 42

Livros não são como pessoas. Livros são seguros.”

C360_2015-12-27-18-19-29-128

barrinha-divisoria-16

5×5: Enrolei e não li

barrinha-divisoria-16

C360_2015-12-23-18-27-11-362_meitu_1

Oi, oi gente.

O final do ano chegou e com isso a pilha de livros não lidos Do ano todo também, sabe aqueles livros que comprou no começo do ano falou e falou que ia ler e até hoje nada? Então, eu também fiz isso, acabei comprando alguns livros que ainda não li, mas que se o tempo permitir em 2016 consigo ler. 😂 


C360_2015-12-23-18-28-10-173

🙈 Alice

“Obras-primas de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho há mais de um século encantam crianças e adultos. Instigante, divertida, inusitada, profunda, a saga de Alice é inesgotavelmente interpretada, parodiada, filmada, citada… e, é claro, lida. Esta charmosa edição de bolso contendo os dois clássicos, inédita no mercado brasileiro, traz os textos na íntegra e ilustrações originais de John Tenniel. Imperdível!”


C360_2015-12-23-18-26-25-010

🙈 Guia de Uma Ciclista em Kashgar

“Em 1923, Evangeline English e sua irmã Lizzie embarcam para a antiga cidade de Kashgar, na Rota da Seda, para ajudar a estabelecer uma missão cristã. Lizzie está fascinada por sua poderosa e inflexível líder, Millicent, mas as motivações de Eva para deixar a vida burguesa na Europa não são claras. Juntas, as três mulheres tentam organizar sua nova casa em meio à pobreza local. Ao mesmo tempo, Eva começa a trabalhar no seu livro, um guia para ciclistas que desejem se aventurar por aquela região.”


C360_2015-12-23-18-25-39-823

🙈 O Herói Perdido

“Novos e conhecidos personagens do Acampamento Meio-Sangue dividem espaço nesse primeiro volume da série Os heróis do Olimpo. Rick Riordan volta ao universo de Percy Jackson e os Olimpianos com ainda mais aventuras, humor e mistério. Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalharam duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia. Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes – semideuses dos quais todos já ouvimos falar… e muito.”


C360_2015-12-23-18-23-48-839

🙈 Eu Te Vejo

“Apesar de apaixonada pela arte e pelas cores de Veneza, cidade onde vive, a jovem restauradora Elena Volpe tem seu coração como uma tela em branco, pois nunca viveu uma grande paixão. Com 29 anos, a protagonista de Eu te vejo tem a sua vida transformada com a chegada de Leonardo Ferrante, um famoso chef de cozinha e o mais novo inquilino do palácio onde trabalha na restauração de um afresco. O encontro com Leonardo abala suas certezas, abrindo as portas de um paraíso inexplorado. O chef sabe que o prazer é uma conquista para todos os sentidos – tem uma forma, um odor, um sabor – e guiará Elena até os limites mais doces e extremos do sexo, mas sob uma condição: nunca deverá se apaixonar por ele. A jovem aceita a proposta e deixa-se seduzir por este homem de passado misterioso, que parece fugir de seu desejo de prendê-lo a ela para sempre. Em Eu te vejo, Irene Cao revela uma trama de escrita suave, como o pincelar cuidadoso de uma restauração, e saborosa, como a gastronomia italiana. Tendo como cenário a exuberante cidade de Veneza, o primeiro volume da primeira trilogia erótica italiana traz todos os sentidos envolvidos na paixão entre Elena, uma mulher que não conhece o amor, e Leonardo, um homem que só conheceu o lado mais obscuro desse sentimento.”


C360_2015-12-23-18-24-42-078

🙈 Deserto de Ossos

“Em 1915, o massacre de milhares de armênios perpetrado pelos turcos tingiu para sempre as areias do deserto sírio com o sangue e os ossos de uma civilização inteira. Em meio a esse cenário desolador, Armen Petrosian, um jovem engenheiro armênio que perdeu a esposa e a filha, e Elizabeth Endicott, uma rica jovem americana, se apaixonam. Mas antes de assumir o que sentem, eles se separam quando Armen se alista no exército britânico e Elizabeth vai trabalhar como voluntária. Ambos testemunharão atrocidades que os marcarão para sempre antes que possam se reencontrar. Quase um século depois, às vésperas do centenário do genocídio, a neta do casal, Laura, embarca em uma jornada pela história de sua família, descobrindo uma história de amor, perda e um delicado segredo que ficou soterrado por gerações.”


Espero que tenham gostado e eu espero que consiga ler eles em 2016. Mas agora me digam aqui nos comentários quais foram os livros que enrolaram e não leram este ano?! Estou curiosa. E se vocês já leram algum desses livros me contem o que acharam, incentivo é tudo. 😉 

barrinha-divisoria-16

Resenha: O Príncipe Congelado – Raigor L. Ferreira

barrinha-divisoria-16

O_PRINCIPE_CONGELADO_1443229761528534SK1443229761B

O Príncipe Congelado

Autor: Raigor L. Ferreira
Editora: Independente
Gênero: Literatura Nacional
Páginas: 9
Pontuação: 🌺 🌺 🌺 🌺
Sinopse: “Nas terras longínquas do Reino de Arvoredo, os habitantes já estavam acostumados com um príncipe fora do tradicional. Phelipe, o herdeiro superestimado do trono tinha uma condição exótica e que fazia os moradores do Reino se perguntarem: “Como alguém pode ser tão gelado?”. A resposta para a pergunta não era simples e esmerada. Na verdade, era muito complexo entender o que tornara a majestade, um homem tão frio e indiferente.”


Não estou acostumada com contos, mas acabei entrando de cabeça em O Príncipe Congelado e apesar de ser curtinho tem uma trama muito envolvente.

Neste conto conhecemos Phelipe, que é o herdeiro do trono do Reino de Arvoredo. Desde cedo o príncipe teve uma infância diferenciada do que se esperaria de um príncipe, seu pai, sempre teve em mente que ele deveria aprender e conhecer muito bem o seu reino antes de lhe suceder, tendo de que enfrentar campos de batalha desde muito pequeno.

E quando tinha oito anos de idade, seu pai o forçou a participar de uma simulação de luta, onde acabou tendo seu braço dilacerado e desde então, noites após noites, dias após dias o Rei e a Rainha brigavam cada vez mais. Phelipe tendo que conviver com todas essas brigas, acabava se tornando cada dia mais frio.

Depois de uma briga mais acalorada, o Rei teve um ataque cardíaco onde deixou uma Rainha e seu filho sozinhos. A Rainha assim que seu marido morreu, acabou se trancando em seus aposentos reais, onde ficou durante anos, até morrer de tristeza. Com todas essas perdas e se sentindo tão só, seus tremores e o frio que percorriam seu corpo que antes eram suportáveis, acabou tornando seu coração em gelo, assim como todo o seu corpo.

Príncipe Phelipe passou a ser conhecido como Príncipe Gelado. E o Reino de Arvoredo passava por um intenso inverno sem fim.

A escrita do autor é muito gostosa e quando você termina de ler fica pensando que poderia ter mais de 300 páginas só para não sair desse mundo maravilhoso em que nos inserimos.

Não se pode falar muito para não estragar a leitura, mas com toda certeza é um conto que trás muitos sentimentos e onde nos deixa muito reflexivos. O Príncipe Congelado, não é um simples conto, nele o autor aborda de maneira sucinta, muitas questões.

Para aqueles que se interessarem pelo O Príncipe Congelado ele está disponível na Amazon.

barrinha-divisoria-16

Resenha: O Silêncio das Montanhas – Khaled Hosseini

barrinha-divisoria-16

O_SILENCIO_DAS_MONTANHAS_1366389997B

O Silêncio das Montanhas

Autor: Khaled Hosseini
Editora: Globo Livros
Gênero: Literatura Estrangeira
Páginas: 350
Pontuação: 🌺 🌺 🌺 🌺
Sinopse: “O Silêncio das Montanhas traz como protagonista os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O Caçador de Pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título “fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas, também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especial os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de O Silêncio das Montanhas tanto quanto eu os amo”. Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo – de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia -, a história se expanda, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar.”


Abollah, têm uma irmã chamada Pari e ambos são órfãos de mãe, assim ele se torna o protetor de sua irmã, sendo uma mãe e pai para ela.

Seu pai, Saboor, casou-se com outra mulher assim que a mãe de seus filhos morreu, Parwana, que está grávida novamente de seu novo marido, já que perderam um filho para o último inverno.

E com isso Saboor vende Pari, de três anos, para uma família rica de Cabul, separando Abollah de sua querida irmã.

Depois dessa trágica separação, acontecem desilusões, desencontros e muitos esclarecimentos, vinda de personagens como Nari, tio de afinidade de Abollah e Pari, onde ele escreve uma carta mostrando um pedaço da história ainda desconhecida e com isso um leque de histórias são jogados no livro, mostrando caminhos e sentimentos que nunca imaginaríamos encontrar.

Não posso dar muita informação, pois cada história dentro do livro têm um significado e é uma descoberta nova para conseguirmos entender a história dos irmãos, então qualquer outra informação que eu falar, será um spoiler e com toda certeza ninguém quer isso, certo?

Esse é o terceiro livro que leio do Khaled Hosseini e em todos eles, o autor consegue nos tocar de uma forma esplêndida em O Silêncio das Montanhas não foi diferente e foi até mais forte, pois não é um livro que conta apenas uma história, mas sim várias em paralelo, então lidamos com diversos sentimentos.

No começo a narrativa se torna muito confusa, até entendermos que o autor não focará em apenas uma história, mas em várias, tudo bem que diante de todos os personagens que aparecem, todos eles têm algo em comum, ou melhor, alguém em comum, que são os protagonistas dessa história, mesmo que por trás de tudo, Pari e Abollah.

Como disse, a narrativa é um pouco confusa e como o livro é recheado de várias histórias se torna um pouco cansativo, mas nada que te faça perder a vontade de ler, muito pelo contrário, na minha visão ele é cansativo não por ser chato, mas sim por ter informações e sentimentos demais, por isso o leitor fica mais cansado.

Se você está procurando um livro que toque seu coração de um modo particular ou um livro que mostra como a vida é frágil, O Silêncio das Montanhas é uma pedida perfeita.
 
 

🌺 Página 118

“Agora sei que algumas pessoas lidam com a infelicidade da mesma maneira como outras lidam com o amor: de um jeito particular, intenso e sem apelação.”

C360_2015-12-14-16-02-59-010[1]

barrinha-divisoria-16

Resenha: A Casa Assombrada – John Boyne

barrinha-divisoria-16

A_CASA_ASSOMBRADA_1418761916426739SK1418761916B A Casa Assombrada

Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Literatura Estrangeira
Páginas: 296
Pontuação: 🌺 🌺 🌺 🌺 🌺
Sinopse: “Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.  Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério.”

Eliza Caine é uma jovem de 21 anos e professora, que acaba de perder seu amado pai. Sozinha em Londres em pleno século XIX ela vê uma oportunidade de mudar de vida, como uma governanta em uma mansão na Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk.

Mesmo sem muitos detalhes, Eliza parte para Norfolk. E assim que chega na mansão percebe que tem alguma coisa errada. Quem a recebe na mansão é uma menina, Isabella, de apenas 12 anos e Eustace, seu irmão de 8 anos. Ela fica perplexa quando percebe que não tem nenhum adulto vivendo na mansão.

As coisas estranhas não param por ai, sempre que ela citava que era a nova governanta dos Westerley para os moradores da cidade, todos acabam a evitando e mudando de assunto. Eliza não satisfeita com tanta falta de informação sobre a família da qual trabalha, vai buscar respostar com o advogado da família, que cuida de todos os assuntos relacionados as crianças, mas o que acaba descobrindo é que os pais delas não estão disponíveis.

Coisas muito estranhas começam a aterrorizar e acontecer com Eliza e ela tem certeza que tem algum espírito presente naquela casa, acidentes inexplicáveis acontecem o tempo todo, fazendo com que quase perda sua vida. Só que o está perambulando naquela casa, só quer mal a Eliza, não às crianças.

E Eliza está disposta a fazer de tudo para abandonar aquela casa, mas não antes de proteger Isabella e Eustace.

A Casa Assombrada é aquela típica história com a temática simples e no final nos mostra que não precisa inventar e ter ideias loucas para que seja boa, a escrita do John Boyne é espetacular, ele consegue dar vida a todos os elementos da história e faz os leitores sintam aquilo que está escrito, o que é magnifico.

O final do livro é previsível, você sabe o que vai acontecer, só não sabe como vai e isso faz com que fique completamente imersa na história.

Quando cheguei no último capítulo eu só sabia de uma coisa, que queria uma continuação, pois o final foi melhor impossível, o autor terminou a história com um mega mistério e até mesmo terror, fazendo que o leitor pense nas coisas que ainda podem acontecer.

Se você está procurando um livro que te prenda do começo ao fim A Casa Assombrada é uma ótima escolha.

 

🌺 Página 207
 
“Acredito que o mundo é um lugar misterioso e que não podemos ter a pretensão de entendê-lo.”

C360_2015-12-07-18-30-05-697

barrinha-divisoria-16

Para ler em um dia: A Bela Adormecida

barrinha-divisoria-16

Oi, oi gente. 💕 

Já faz um bom tempo que não posto um Para ler em um dia e esses dias acabei comprando um HQ incrível e que precisava compartilhar com vocês, então cá estou eu e espero que vocês gostem.


A_BELA_ADORMECIDA_1444491649530940SK1444491649B

 

A Bela Adormecida (Contos Clássicos Em Quadrinhos)

Adaptado: Martin Powell
Ilustrador: Sean Dietrich
Editora: Ciranda Cultural
Páginas: 40
Sinopse: ““Ela irá cair em um profundo sono, que durará cem anos.” – a Décima Terceira Fada.”

 

 


Entrei em uma livraria infantil esses dias e me deparei com A Bela Adormecida (Contos Clássicos Em Quadrinhos) e me apaixonei. Não me importei de ser um livro curtinho e infantil, só sei que senti a necessidade de comprá-lo. A história foi adaptada pelo Martin Powell, que já escreveu centenas de histórias, muitas das quais foram publicadas pela Disney, Marvel, Tekno Comix e muitas outras. E foi ilustrado pelo Sean Dietrich que já ganhou mais de 50 prêmios de arte em sua carreira.

C360_2015-11-30-20-36-06-606

A Bela Adormecida é uma história clássica e que todos conhecem, mas para quem não se lembra irei contar como este HQ narrou. A rainha era uma pessoa muito solitária e em uma de suas caminhadas acabou se deparando com uma criatura solitária também, onde essa criatura disse que os desejos da rainha se tornariam realidade e o seu maior desejo era ter uma filha e eis que depois de um tempo nossa querida princesa Rose, nasceu e com esse nascimento no reino, eles preparam um banquete e todas as criaturas mágicas foram convidadas, incluindo as 12 fadas madrinhas que cada um deu a Rose um dom, mas o que ninguém esperava era que a décima terceira fada aparecesse no meio do banquete para lançar a princesa uma maldição, dizendo que em seu décimo quinto aniversário ela iria furar o dedo em uma roca de fiar e morreria, só que a décima terceira fada não sabia é que a décima segunda fada ainda não tinha lhe dado nenhum presente e com isso, tentou amenizar a maldição, dizendo que ao tocar na roca ela não morreria, mas cairia em um sono que duraria 100 anos.

C360_2015-11-30-20-41-36-712

E quando a princesa completou 15 anos, ela furou seu dedo em uma roca, caindo em um sono profundo e inconsoláveis, o rei e a rainha foram tomados pelo mesmo sono profundo e assim o feitiço se espalhou pelo reino inteiro. Depois de muitos anos, um jovem principe acabou ouvindo a história daquele velho reino esquecido e descidiu ir lá mesmo sabendo que outros já foram e nunca mais voltaram e corajoso entrou e enfrentou todas as criaturas que a décima terceira fada tinha colocado para impedir que alguém entrasse, só que ele foi envenenado e proferiu suas últimas palavras para a princesa que acordou de seu sono profundo.

C360_2015-11-30-20-42-01-263

A história é uma adaptação da versão de Perrault. E o que eu mais gostei do livro com toda certeza foram as ilustração, com traços sombrios e pesados, dando um ar de mistério, terror coisas que não vemos nas adaptações clássicas, por ser um HQ e ter poucas páginas li em menos de uma hora e depois eu voltava toda hora para ver as ilustrações. Mas me digam o que acharam dessa adaptação, gostaram? Comprariam? E se já leram outras adaptações da A Bela Adormecida me contem o que acharam delas.  

C360_2015-11-30-20-39-53-329

barrinha-divisoria-16